10 de maio de 2009

QUEM QUER TURISTA?

Na semana que se inicia, pouco mais de 500 pessoas debaterão o turismo na Ilha de Nossa Senhora dos Aterros. Mas não pense o leitor que entre os convidados estarão pessoas que há muito debatem publicamente o presente e o futuro urbano, social, cultural e turístico da cidade.
Na reunião, mesmo que financiado com R$ 5 milhões pelo governo estadual e mais R$ 2,5 milhões da Embratur, só poderão entrar magnatas dispostos a pagar US$ 5 mil pelo ingresso.A primeira leitura que se pode fazer deste evento é a de que os problemas que atingem diariamente a convivência pública dos habitantes da Ilha não serão debatidos por quem vive aqui, mas pelo que o governo estadual chama de potenciais investidores. Mas não seria correto primeiro conversar com a população para saber se ela quer? E se quer mesmo, de que forma isso pode acontecer?
Ou o leitor pensa que quem pagará tanto pelo ingresso estará interessado em como acabar com a marginalização crescente das comunidades carentes ou com a falta de espaços de lazer, de investimento em cultura e educação, em comandar uma ação que tire a Capital do Estado da vergonhosa condição de segunda pior Capital no que refere a saneamento básico, ou que discuta os crimes ambientais e sociais cometidos diariamente por parte daqueles que desconhecem, seja por por ignorância, seja por ganância, o real significado das palavras futuro e planejamento urbano? Por que o investimento nos debates sobre o Plano Diretor Participativo foram tão minguados, ridículos até, se comparados com o WTTC.
Um evento que já foi rejeitado pelo próprio Ministério do Turismo, que considerou o custo benefício muito aquém do desejado. Por que uma coisa que não serve ao Brasil serviria para Santa Catarina? Seria mais uma demonstração do governo de querer separar, tal e qual com o Código Ambiental, o Estado do resto do país?Não creio. Acredito mesmo que há um deslumbramento irracional, uma falta de visão democrática sobre os processos de construir uma cidade que aos poucos vai destruindo seu patrimônio cultural e ambiental. Talvez porque este deslumbre impeça de se fazer perguntas fundamentais a estas alturas, tais como, quem quer mais aterros? Quem quer mais viadutos? Quem quer mais centros de compras sobre o mangue? Quer quer mesmo jogar golfe no Costão do Santinho? Quem quer mesmo mais turistas?

8 comentários:

Gugu disse...

Que triste realidade, a cidade perdendo sua identidade em nome de um progresso pensado por Gigolôs da Paisagem. A população assiste passiva a tudo e os poucos que esbolçam alguma reação são perseguidos ou ridicularizados, chamados de atrasados,xiitas....
Que saudade da Ilha sem os aterros, pode parecer saudosismo, mas é a tristeza de um mané criado no Morro da Cruz vendo sua cidade sendo destruída literalmente.
Se o progresso proposto por estes canalhas fosse bom, eles não iriam passar as férias ou morar na sua aposentadoria na França, EUA, Inglaterra dentre outros...

Ricardo Rayol disse...

A resposta é o olhar sobre os últimos anos na ilha, onde a sanha assassina dos investidores tranformaram isso aqui numa zona.

claudia disse...

olaa
adorei suas crônicas
em sala de aula li 21 cronicas
achei todas muitos explicativas
e concretas

robson disse...

foi muito show tua apresentacao
no cevi cara nossa muito massa
foi um espetaculo tuas cromicas sao de mais vc sabe agir pensar bem antes de
publicar antes de irteragir com as pessoas
nossa gostei muito...........cara vc eh o cara.............

robson disse...

foi muito show tua apresentacao
no cevi cara nossa muito massa
foi um espetaculo tuas cromicas sao de mais vc sabe agir pensar bem antes de
publicar antes de irteragir com as pessoas
nossa gostei muito...........cara vc eh o cara.............

lucas disse...

pois foi bom você um escritor reconhecido em santa catarina ter passado pela escola adelina regis no encontro marcado eu particulamente gostei muito do que aprendi.
eu ja li varias crònicas suas e gostei muito eu te desejo muita sorte na sua carreira de escritor.
belo trabalho que você fez boa sorte.

Ronaldo disse...

Pois eu gostei de ler as suas cronicas elas ensentivam os seus leitores a lerem cada ves mais poriso continue escrevendo as suas cronicas pois quem ler vai cada ves mais quere ler.

Anônimo disse...

vc e muito legal,
suas cronicas sao muito interativas