20 de outubro de 2007

Sanguessugas?

Os artistas, produtores e intelectuais de Santa Catarina, individualmente ou reunidos em suas associações e sindicatos, já foram chamados de tudo pelos atuais administradores do Estado. Na gestão anterior, o ex-presidente da Fundação Catarinense de Cultura, o senhor Edson Machado, disse que essa gente que pensa e faz arte, e que reclamava por uma política decente, era um "Grupo Tóxico".

Agora, depois do lançamento de um manifesto contra as atrocidades decretadas pelo governo, na última quinta-feira, aqui no DC, o senhor Gerson Hübner, gestor do Funcultural, chamou todos os cineastas do Estado (já que a Cinemateca assinou o documento), os escritores (já que a União Brasileira de Escritores assinou), os atores, produtores e diretores de teatro (já que a Gesto assinou o documento), os envolvidos com dança (já que que Aprodança assinou o documento) de sanguessugas.

Pergunto, pra não perder a mania, quantos livros ele leu nesse ano, quantas peças de teatro ele foi assistir, quantas vezes freqüentou lugares onde os sanguessugas se reúnem, quantas vezes foi ao cinema? Dos mais de 80 indivíduos e quase 30 associações signatárias do manifesto, ninguém consegue ver uma única obra produzida pelo senhor Gerson ou pelo senhor Knaesel. Mas ainda assim eles são responsáveis por determinar a política pública do atual governo para a cultura. Por que?

Um partido político ou uma coligação quando chega ao poder quase sempre tem problemas no que diz respeito à cultura. Ou seu líder maior, no caso o governador do Estado, tem uma idéia equivocada de investimento público para a área, crendo que aparecer ao lado da Vera Fischer, encher as burras de dinheiro de uma escola de samba carioca, instalar uma escola de balé russa extemporânea, fazer festivais alienígenas ou trazer balés dinamarqueses é a coisa certa a fazer, ou escolhem algum alienígena que não é da área para o cargo.

Carlos Drummond de Andrade já havia alertado há tempos sobre a incapacidade de convivência harmômica entre intelectuais e o poder. Sendo assim, os partidos quase nunca têm quadros capazes de compreender a importância da área e as necessidades de seus produtores. Se soubessem, a primeira coisa a fazer seria ouvir, como se ouve a necessidade do agricultor, do médico, dos professores e de todos que fazem parte da sociedade civil organizada. Mas não é assim que acontece, e não é por acaso que o manifesto, amplamente representativo, foi escrito.

Outro problema é ter que fatiar uma secretaria com outro partido, no caso o PSDB, que administra um fundo que só não foi barrado ainda pela Assembléia Legislativa e pelo Ministério Público ninguém sabe ainda o motivo, tamanhas as incongruências de seus decretos e portarias assinados todos os dias, e sempre para pior.

E quem sofre com essa disputa interna entre o que pensa o governador e o que pensa seu secretário de esporte, turismo e cultura? Os escritores (é importante lembrar que a Lei que exige que o Estado adquira obras de autores catarinenses nunca foi cumprida), diretores de filmes (que só têm sido feitos porque uma lei assim exige e tem uma classe atuante e atenta exigindo seu cumprimento), os dramaturgos, atores, músicos, bailarinos, enfim, quem cria e para quem o incentivo deve ser concedido.

Eu já havia prometido nunca mais encher a paciência do leitor com esse tipo de crítica, até porque imaginei ter esgotado todo repertório. Mas o governo é campeão em conceder subsídios para as reclamações. Haja paciência para suportar tanta desfaçatez e ignorância. Ou a sociedade acorda para o que está acontecendo e exige uma política democrática, justa, amplamente debatida entre todos, e se construa, junto com o poder legislativo, e o judiciário um Fundo de verdade de financiamento à cultura, ou o Estado continuará vendo seus produtores tendo que mudar de profissão. O próximo sindicato a ser criado será possivelmente o dos trabalhadores em grupos tóxicos, de sanguessugas profissionais e assemelhados de Santa Catarina.

Um comentário:

Anônimo disse...

Adorei estas verdades que
dissestes a estes senhores!
Descobri lá na Regina Carvalho que tinhas este blog.Li e reli alguns dos textos pois sou assinante do
DC para os dias de sábado, domingo
e segunda. Do AN que era de outro
dono, e por isto mais interessante,
sou assinante de todos os dias.
Abraço da Fatima de Laguna.
P.S.:ouvi dizer que nosso governador está sendo julgado
em Brasília, como não vejo TV,
nem ouço rádio
e não tive tempo de abrir os
jornais impressos nem virtuais
ainda hoje mesmo com uma hora que me foi devolvida, não sei a quantas anda
a vida do homem que adora o
balé clássico. Eu tambem acho
lindo mas nessa o povão é que dança
né?