6 de outubro de 2014

opa, peraí. não recebo bolsa família, não sou ignorante, parto sempre do princípio dialético sobre pontos de vista não coincidentes e não sou nordestino (apesar de ter percebido que o melhor da produção cultural do país sempre vem de lá, e não do sul caipira, conservador e falso puritano). portanto, a primeira falácia está desmontada.

a segunda é que vivi no período governado pelo psdb, ao contrário de uma galera mais jovem, e que, infelizmente, formada apenas pelos programetes a serviço (aí sim) da ignorância, acham que o mundo existe a partir do nascimento deles, e que não tinha corrupção no governo do psdb. vão ler os jornais da época.

a terceira, já que citei a história recente do país, comparem os números, as ações sociais, a tentativa de inclusão que o governo lula e dilma têm feito, apesar das adversidades, para que mais pessoas fossem incluídas, ao contrário do psdb, cujo ex-presidente, o fhc, afirmou claramente que não existe progresso sem inclusão. o pt provou o contrário.

a quarta questão é que quem mais torce contra o governo socialista (vejam bem, com todos os seus defeitos) são justamente os que sempre ganharam com o oposto. por isso o ódio incomensurável. portanto, quem vota no retorno do neoliberalismo ou é mal informado, ou vota com rancor por motivos pessoais (conheço gente que brigou internamente nos movimentos de esquerda e acha que toda a esquerda é ruim por isso), ou porque acha que não está ganhando nada com o governo do pt.

o país sempre concedeu bolsa para filha de militar, bolsa para ex-governador, bolsa para filho de juíz, bolsa vereador, e tantas outras "ajudas" para os que não precisavam. o pt tem feito o contrário, tenta dividir o bolo. mas quem sempre ganhou grana e pode viajar, gastar, e, principalmente, se exibir, agora acha ruim que os impostos gerados por todos deem oportunidade para que mais pessoas possam fazer o mesmo. como disse uma madame outra dia: “que graça tem viajar pra nova iorque se até meu porteiro agora pode ir”. isso é rancor, não é espírito público.

por fim, não sou filiado ao pt, nunca fui e provavelmente nunca serei, porque, como groucho marx, desconfiaria de qualquer clube, associação, igreja ou partido que me tivesse como membro, porque penso como torquato neto e acho que alguém tem que ao menos tentar desafinar o coro dos contentes.

não creio que a dilma seja a melhor presidente que o país já teve ou terá, mas o meu voto é mais do que óbvio, por todas estas questões, para ela.

Nenhum comentário: